segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Lendas da nossa terra - "Aldeia" Vila Nova de S. Bento


Conta a lenda que quando das guerras da restauração em 1640, existiam naquela zona duas aldeolas, a Aldeia da Fonte do Canto e não muito distante a Aldeia Cabeço de Vaqueiros, estando os espanhóis com domínio de ambas tal como no resto de Portugal, havia já 60 longos anos.
No Alentejo, raiano as escaramuças sucediam-se, ainda por cima a planura era propícia à acção da cavalaria espanhola que por muitas vezes irrompiam por ambas as aldeias

Mas continuemos, conta-se que uma linda jovem  da Aldeia da Fonte do Canto, se apaixonou por um rapaz da Aldeia vizinha, porém o seu amor parecia não ser correspondido, pelo que acabou por aceitar a corte de um soldado espanhol.
Ao ter conhecimento de que a jovem iria casar-se com um inimigo, logo se apressou a declarar o seu amor e a prometer tudo fazer para livrar as duas aldeias do jugo dos espanhóis.
Foi ai, que transbordante de alegria e na maior das felicidades a jovem, não só repudiou o espanhol como, invocando S. Bento, por quem tinha grande devoção, lhe roga pela vida do seu bem-amado e que valesse a este ajudando-o no cumprimento da sua promessa.
Logo o espanhol repudiado chama mais tropas e a luta surge sem tréguas entre os rivais, de um lado os espanhóis bem armados do outro, um grupo formado por um grupo de homens das duas aldeias armados com, alfaias agrícolas, pás, picaretas, foices e enxadas, que chefiados pelo jovem alentejano e unidos pela mesma intenção com bravura conseguiram por em debandada as tropas espanholas e libertar as aldeias da Fonte do Canto e de Cabeça de Vaqueiros.
As acções de graça em honra de S. Bento que tinha concedido um tal milagre não se fizeram esperar, era esta a opinião geral.
O povo das duas aldeias que assim lutara juntos logo decidiram unir também as duas aldeias, que assim ficariam mais fortes contra o inimigo. 
Mas que nome lhe haveriam de dar ? Pensaram um pouco. Não era uma aldeia nova que nascia? Pois seria Aldeia Nova a que acrescentaram de S. Bento, em honra e agradecimento ao Santo que os tinham ajudado a conquistar pela fé, a paz e a liberdade. 
Cumprida a promessa casaram os dois jovens juntando também as antigas aldeias numa  bonita história de amor.


Pormenor central do portico onde consta a data da construção da Igreja de S. Bento - 17720